Mensagem da Presidente da ASPL: Concentrações e plenários distritais (de 26 fevereiro a 8 março)

 
Caros Colegas Professores e Educadores, associados da ASPL,
 
Na sequência da nossa informação, via newsletters da passada quinta-feira, em que demos conhecimento do documento que a Direção da ASPL elaborou e enviou aos partidos políticos com assento parlamentar, com as principais preocupações e problemas com que a classe, a profissão e a carreira docentes se vêm confrontando há muitos anos, em simultâneo, com o questionário, que intitulámos Prova Final - escrita, aos partidos políticos, no sentido de os implicar e comprometer na procura de soluções efetivas, justas e eficazes, no que concerne às matérias da Educação e do Ensino, em Portugal, vimos agora dar-vos conhecimento de que em resposta a alguns dos nossos associados que nos questionaram sobre a iniciativa dos Colegas da FENPROF, dizer-vos que a direção da ASPL a saúda e se associa a ela, não obstante não termos capacidade de podermos estar presentes na maior parte dos distritos.
 

Com efeito, o trabalho administrativo exigido para atendermos e respondermos aos muitos pedidos de apoio, por parte dos nossos sócios, seja no que respeita ao reingresso à CGA, ao concurso de transição entre QZP e na análise dos documentos de progressão e de reposicionamento, bem como no posicionamento remuneratório, para além de outras questões, tem consumido todo o nosso tempo e energias.
 

Mas isso não nos impede de, após confirmação com os colegas da FENPROF, nos associarmos a esta importante iniciativa e nos locais e dias em que nos for possível, marcarmos a nossa presença, com ou sem as nossas bandeiras, se não as tivermos disponíveis.
Assim, fica o convite a todos os nossos sócios que puderem estar presentes nestas concentrações e plenários distritais, promovidos pelos colegas da FENPROF, que o façam, e no final se dirijam aos colegas da FENPROF, por forma a obterem a respetiva justificação das faltas ao serviço, ao abrigo das 15h anuais que temos para a atividade sindical.
 
Abaixo transcrevo a informação detalhada que consta do Site da FENPROF, sobre a iniciativa:

 
Serão concentrações diárias, às 10:00 e às 15:00 horas, que, distrito a distrito, percorrerão o país, do Minho ao Algarve e também nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Assim, para cada capital de distrito e para as das regiões autónomas serão convocados Plenários Distritais de Professores e Educadores em local público que em breve será divulgado. Em várias capitais, para além da concentração e do plenário, realizar-se-ão desfiles de Professores na Campanha, com a distribuição de um folheto à população, sendo, ainda, afixada uma faixa da campanha em local de grande visibilidade.
A campanha dos professores obedecerá ao seguinte calendário, respetivamente às 10:00 e 15:00 horas, com exceção de Funchal e Ponta Delgada em que serão ambas às 10:00 horas:
- 26 de fevereiro: Viana do Castelo | Braga
- 27 de fevereiro: Vila Real | Bragança
- 28 de fevereiro: Porto | Aveiro
- 29 de fevereiro: Viseu | Guarda
- 1 de março: Coimbra | Leiria
- 4 de março: Castelo Branco | Portalegre
- 5 de março: Lisboa | Santarém 
- 6 de março: Setúbal | Évora
- 7 de março: Beja | Faro
- 8 de março: Funchal | Ponta Delgada

Para além das reivindicações gerais que estarão presentes nas intervenções a realizar e na Tomada de Posição que será posta à votação para entrega aos partidos políticos em cada distrito, haverá, em cada concentração, um problema concreto que será destacado, com a apresentação das propostas que a FENPROF tem para o solucionar. A entrega da Tomada de Posição, em cada distrito, será feita posteriormente pelas direções distritais dos sindicatos que integram a FENPROF.
Os problemas que mais importa evidenciar na Campanha, temas incontornáveis para a Escola Pública e para a situação atual da profissão docente, serão aqueles que têm estado no topo dos protestos dos professores, tais como: falta de professores, carreira docente (que inclui o tempo de serviço, mas não só), condições de trabalho (que incluem horários), aposentação, precariedade, formação de professores, financiamento da Educação, educação inclusiva, mobilidade por doença ou, dando expressão à campanha da UNESCO lançada no Dia Internacional da Educação, o papel dos professores no combate ao discurso de ódio. A distribuição por cada um dos dias será oportunamente divulgada.
Lisboa, 6 de fevereiro de 2024
O Secretariado Nacional da FENPROF

 
 
Grata, enviamos as nossas cordiais saudações, na convicção de que todas as oportunidades que tivermos para nos juntarmos e reivindicarmos a atenção necessária para a resolução dos problemas com que nos confrontamos há anos, serão por nós bem aproveitadas e nunca serão em vão!
 
A Colega e Presidente,
Fátima Ferreira