Mensagem da Presidente da ASPL no primeiro dia de início efetivo da atividade letiva - 2023/24

Caros Colegas Professores e Educadores, sócios da ASPL:
 
Neste primeiro dia de início efetivo da atividade letiva, deste novo ano 2023/24, desejamos a cada um de vós: um bom ano! Que seja possível, apesar das imensas adversidades que temos no exercício da nossa profissão, nas escolas, e na nossa carreira, realizarmos um bom ano letivo e escolar!
 
Ainda esta semana ouvimos o Sr. Ministro da Educação a pedir bom senso aos professores e aos seus sindicatos, como se fossem estes os responsáveis pelos problemas existentes no setor da educação!
 
Demasiado triste quando não se é capaz de assumir as suas responsabilidades e se atira para cima dos outros o ónus das situações!
 
Também esta semana, a administração educativa disponibilizou um simulador para cada docente confirmar se está ou não abrangido pelos mecanismos de aceleração da progressão na carreira; e, infelizmente, a maior parte dos docentes vai confirmar que não é abrangido por nenhuma dessas medidas; seja porque não iniciou funções no ano 2005-06, seja porque lhe tenha falhado algum ano de contrato entre o ano escolar 2005/06 e 31 de dezembro de 2010, seja porque não tem exatamente os 2557 dias ou porque é ainda contratado e teve horários incompletos!
 
Dos que são abrangidos, todos confirmarão que não se trata de recuperar nem um dos 6 anos, 6 meses e 23 dias; que não recuperarão todo o tempo que perderam nas listas aquando da progressão ao 5º ou ao 7º escalões e que as vagas não desaparecem, apenas serão criadas vagas supranumerárias para quem cumprir os requisitos estipulados na lei.
 
Assim, o Ministério da Educação não deixa outra opção aos professores e aos seus sindicatos, que não o de continuarem as suas lutas até que os principais problemas sejam resolvidos de forma correta, eficaz e justa, pois o estado a que se chegou é insustentável e a falta de professores é disso um sinal inequívoco e real!
 
Portanto, os professores e os seus sindicatos que continuam a almejar a recuperação do tempo congelado, o alívio da sobrecarga de tarefas, da burocracia e da desregulação dos seus horários de trabalho, bem como a valorização da sua profissão, terão de continuar a lutar, pois nada disto lhes será dado sem essa luta!
 
A ASPL, como sempre, continua com e pelos professores, mantendo-se ao seu lado para o que for preciso!
A colega e Presidente da ASPL – Fátima Ferreira